Balões viram coquetéis molotov em anúncios

A F/Nazca Saatchi & Saatchi criou para a Petrobras uma campanha composta por anúncios, spot de rádio e peças de mídia exterior sobre riscos dos balões


Publicidade da F/Nazca Saatchi & Saatchi para a Petrobras transforma balões em coquetéis molotov
Publicidade da F/Nazca Saatchi & Saatchi para a Petrobras transforma balões em coquetéis molotov

Produzir, comercializar e soltar balão é crime. Com o objetivo de conscientizar a população dos riscos deste hábito que se agrava nos mês de junho e julho e estimular a denúncia, a F/Nazca Saatchi & Saatchi criou para a Petrobras uma campanha composta por anúncios, spot de rádio e peças de mídia exterior.
Não é a primeira vez que a publicidade aborda o tema. O aplicativo “Cai, Cai, Balão”, criado pela Agência3 para o Disque-Denúncia, permitia enviar balões para os amigos no Facebook.
Com a grande quantidade de balões enviados, muitas pessoas marcaram os posts como spam, denunciando o aplicativo para a rede social. Com o alto índice de denúncias, ele foi retirado do ar. Todos que interagiram com o aplicativo receberam um aviso. Ao entrar novamente no app, o usuário era surpreendido com a mensagem do Disque-Denúncia.



A mesma agência criou uma ação online para a Eletrobras. A peça, que foi veiculada no site do canal Esporte Interativo, permitia que, a partir do CEP digitado, uma pessoa mandasse um balão virtual para a sua casa. O objeto aparecia sobrevoando o endereço, junto ao texto: “Soltar balões pode causar incêndio. E, na vida real, não dá para saber aonde”.


Já o trabalho da F/Nazca, que terá veiculação nacional até o fim de julho, pode ser visto acima e ouvido abaixo:

0 comentários:

Postar um comentário

A Fiz agradece o seu comentário!