Coisa do passado: tecnologias que vão morrer nos próximos anos

Confira os aparelhos e produtos que devem sumir nos próximos anos

Câmeras digitais com baixa resolução
Essa aqui é culpa da Apple. Depois do lançamento do iPhone 4, em 2010, boa parte das câmeras mais baratas do mercado se tornaram obsoleta. Isso porque elas ofereciam uma qualidade de imagens bastante parecida com a do smartphone, que possui uma câmera de 5 megapixel com flash A opinião de especialistas é que nos próximos cinco anos, empresas como Nikon, Canon e Sony deixem as câmeras com menor resolução para os smartphones (vale lembrar que já há vários smartphones/câmera). As fabricantes devem se focar em câmeras com mais recursos e nas chamadas top de linha


Chaves de carro
Isso mesmo, as chaves do seu carro devem ser substituídas em breve por dispositivos mais “smart”. As chaves inteligentes virão em conjunto com outras mudanças: botão para ligar o carro, configuração de perfil de motorista e até funções de segurança. Tudo isso para evitar que tenha dores de cabeça. Sem falar dos próprios smartphones, que cada dia mais estarão conectados com os carros

Internet discada
Ok, você pode pensar que isso é algo do passado. Mas, a internet discada ainda é um meio de conexão usado por cerca de 9 milhões de pessoas nos Estados Unidos. Isso significa algo próximo da população do Paraná (10 milhões), por exemplo. Bom, mas com a rápida expansão dos serviços de internet, a tendência é que finalmente a internet discada vire, definitivamente, coisa do passado


Blu-ray/DVD
Pode esquecer a mídia física. As previsões dos especialistas apontam para que serviços de streaming, como Netflix devem ser a nova casa para filmes e séries. De acordo com estudos o mercado de Blu-ray players teve em 2013 seu último ano de crescimento. Outro fator que pesa contra a mídia física é a qualidade dos vídeos de streaming, Netflix e YouTube, por exemplo, já tem planos para exibir conteúdo em resolução 4K


Aparelhos de GPS para carros
Em cerca de seis anos foram vendidos 1,3 bilhão de smartphones iPhone e Android. Combinado com o lançamento cada vez mais comum de carros com sistema de GPS embarcado e é bem provável que os aparelhos separados de GPS para colocar nos carros esteja com seus dias contados. As vendas desse tipo de aparelho tem caído cerca de 15 a 20% por ano desde 2008





Fonte: R7.com

0 comentários:

Postar um comentário

A Fiz agradece o seu comentário!